Interação, interatividade e exploração em cursos online

interacao e interatividade

Como melhorar a interação em cursos online? Como aumentar o engajamento? A participação? Seguido de como impor limites aos alunos de cursos online?

Interação, interatividade e exploração em cursos online

é sobre isso que nós vamos conversar neste post.

Quando nós estamos dando nossos primeiros passos no ensino a distância, tendo ou não nossos cursos já publicados, a comunicação é sempre um ponto fundamental nesse processo.

É comunicando que nós poderemos aumentar nossa rede de contatos, o engajamento do nosso público, a interação, o aprendizado e as vendas!

Comunicação é tudo: desde o marketing até a avaliação dos nossos cursos. Por isso, ter um plano de comunicação bem definido e regras claras é muito importante.

Neste post eu pretendo responder algumas perguntas dos meus alunos e colegas instrutores Udemy sobre interação, interatividade, engajamento e exploração em cursos online.

A interação nos cursos online é necessária?

Nem sempre foi, mas com a popularização da internet, das redes sociais e a modernização dos ambientes virtuais de aprendizagem, possibilitando a “virtual collaboration” e a comunicação em tempo real através de e-mails, chats, vídeos, videoconferência e afins, é impossível desconsiderarmos essa possibilidade.

A interação e a participação ativa dos alunos no EaD facilitam o processo de ensino e aprendizagem, pois,

O educando desenvolve a aprendizagem interativa, a pesquisa em grupo, a troca de resultados. A interação bem-sucedida aumenta a aprendizagem.

Como apontam os professores da Universidade do Sul de Santa Catarina (UNISUL) Vânia Bem, Wilson Schuelter e Dulce Márcia Cruz no artigo:

publicado pela Associação Brasileira de Ensino a Distância.

Conscientes desse fato e do nosso papel de educadores (sim, mesmo criando cursos online na modalidade de cursos livres e como empreendedores, nós continuamos sendo educadores!) ou simplesmente querendo receber um feedback sobre o conteúdo criado, nós todos procuramos engajar.

Aliás, “engajamento” tornou-se substantivo fácil nas redes sociais e as fórmulas para aumentar o engajamento, receita de bolo.

Sendo assim, perguntas como:

  • Como me comunicar com os alunos? quero publicar um curso, mas não quero deixar ninguém com dúvidas;
  • Devo dar o meu número de celular ou WhatsApp para os alunos?
  • Vale a pena criar um grupo no Facebook para meus alunos?
  • Como melhorar a interação dos alunos em EaD?
  • Como aumentar o engajamento e a participação dos alunos?

Seguidas da abertura de diferentes canais de comunicação e da busca excessiva de proximidade pode facilmente se transformar em:

  • Como responder todas as perguntas?
  • Como dar atenção para todos os alunos?
  • Como evitar perguntas repetidas?
  • Como encontrar tempo para produzir novos conteúdos?
  • Como impor limite aos alunos invasivos?

Por ver e viver esse problema diariamente, eu posso afirmar que:

A interação nos cursos online é necessária, mas o seu descanso também!

Procure a interação, a participação e o engajamento dos seus alunos, responda todas as perguntas (elas são uma fonte inesgotável de conteúdo para você!), mostre empatia, dê dicas, ajude, crie a sua comunidade, mas aprenda a impor limites!

Vamos tentar criar um plano de comunicação, facilitar a interação, aumentar o engajamento sem extrapolar os limites (os seus e dos seus alunos)?

Como criar um plano de comunicação para seus cursos online.

Como nós já falamos, ter uma comunicação clara é essencial. Assim como nós não somos e nem queremos ser tratados como máquinas, nossos alunos também não querem.

Empatia, simpatia, identificação e afetividade também são palavras-chave no ensino a distância. Quando os alunos se sentem acolhidos e aceitos na sala de aula (mesmo quando é virtual), eles também se sentem mais à vontade para iniciar o processo.

A Renata Vazan aborda muito bem esta questão no vídeo:

Por isso, é importante que você:

1 – tenha uma mensagem de boas-vindas acolhedora

Deixe clara a sua satisfação em receber esta pessoa no seu curso. Agradeça a confiança e mostre a sua disponibilidade em responder as dúvidas e questões.

#dica: deixe claro também, desde o início quando e como você estará à disposição para responder as questões.

#exemplo: eu respondo todas as questões todos os dias pela manhã na Udemy, no nosso grupo de alunos e nas redes sociais.

2 – estabeleça os canais de comunicação a serem usados

Delimite um número de canais: chat, e-mail, telefone, WhatsApp, telegrama, grupos em redes sociais, no Skype ou qualquer outra ferramenta que você preferir.

Os grupos no WhatsApp estão cada vez mais populares (e invasivos!). Grande parte das pessoas parece esquecer que o número do WhatsApp é o número do seu celular e se você não tem um número profissional, correrá o risco de receber chamadas a todo momento.

#dica: escolha as suas ferramentas e procure sempre separar o trabalho da sua vida pessoal. Se estar disponível para responder as perguntas dos nossos alunos é imprescindível, receber uma chamada durante o jantar ou no final de semana para responder uma pergunta que poderia ser um e-mail, é completamente inútil.

#exemplo: todas as plataformas EaD possuem um sistema de comunicação através de e-mail, chat e ou fórum de discussão. Em princípio, essas ferramentas são suficientes para estabelecer uma boa comunicação com seus alunos. Um bom complemento, pode ser um grupo fechado no Facebook ou na rede social de sua preferência.

Falo sobre a criação de grupos no Facebook nesse vídeo:

3 – envie e-mails com novos conteúdos para seus alunos

Seus alunos querem e merecerem continuar aprendendo com você. Envie e-mails com atualizações do curso, posts no seu blog, convite para redes sociais e eventos. Assim, você cria um laço e confiança e um verdadeiro relacionamento com seus alunos.

#dica: um e-mail geral por semana é suficiente e se você não puder escrever semanalmente, diminua a frequência segundo as suas possibilidades. Procure trazer informações e conteúdo útil para eles. Compartilhe suas leituras, experiências e sua produção de conteúdo (esse é o famoso “marketing de conteúdo” sabe?).

#exemplo: eu escrevo semanalmente e toda a minha produção de conteúdo é centrada em temas de interesses dos meus alunos (um bom exemplo é este post).

Como facilitar a interação e a interatividade em cursos online?

Todos querem saber como promover a interação, poucos querem entender como ela acontece (e entender que ela acontece, mesmo quando a gente não está percebendo-a).

Segundo M.G. Moore autor da Teoria da Distância Transacional, existem 3 tipos básicos de interação no ensino a distância: (não vou me aprofundar na teoria agora, ok? Quem sabe em outro post, se alguém quiser, mas neste eu quero ser mais prática)

aluno-aluno: interação entre dois ou mais alunos. Este tipo de interação é facilitada pela criação de grupos de estudo nas redes sociais. Os alunos estão familiarizados com as redes e podem facilmente dar “um rosto” ao colega, o que facilita e muito!

aluno-professor: este tipo de interação acontece sempre que existe um contato direto entre aluno e professor. Cada vez que você pergunta ou responde alguma coisa, cada vez que avalia um trabalho, orienta e incentiva seu aluno, é este tipo de interação que está acontecendo.

aluno-conteúdo: este é o tipo de interação invisível para os professores e instrutores de cursos online. Mesmo quando o aluno está assistindo as aulas, fazendo suas leituras e pesquisas, desenvolvendo as atividades práticas do curso, está havendo interação, ela só não acontece de maneira visível e palpável para nós professores. Quando nos colocamos no lugar dos nossos alunos, podemos ver claramente o que acontece.

Entendendo que a interação acontece mesmo quando nós não estamos vendo, é preciso entendermos que nossos alunos de cursos online, assim como na sala de aula presencial, têm personalidades diferentes e alguns deles preferem interagir somente com o conteúdo.

Muitos dos alunos do ensino a distância escolhem essa modalidade de ensino justamente por preferirem estudar sozinhos.

A dica aqui é não privilegiar somente uma forma de interação, possibilitando assim, a cada aluno aprender e interagir da forma mais adequada para ele.

Promova, mas não force as atividades em grupo e nem a apresentação das atividades práticas se você cria cursos livres. É desnecessário e pode prejudicar o desenvolvimento dos seus alunos.

Passemos então para a próxima questão importante nesse post:

Como aumentar o engajamento sem extrapolar os limites (os seus e dos seus alunos)?

Tendo sempre em mente os diferentes tipos de interação naturais dentro do processo de ensino e aprendizagem a distância, pense em criar atividades extras e desafios pontuais durante um determinado período.

  • Seu curso é sobre fotografia?

Crie um concurso de fotografia onde seus alunos poderão compartilhar suas fotos usando uma hashtag exclusiva nas redes sociais. Aquela que conseguir mais likes ganha e o prêmio você escolhe. Seus alunos vão ficar felizes em ver a foto deles sendo compartilhada na sua página, em ganhar um curso online ou até alguma outra coisa que você quiser.

  • Quer incentivar seus alunos a concluir o curso (e ajudar você na divulgação do seu trabalho)?

Ofereça um desconto ou um segundo curso gratuito para todos os que concluírem o curso dentro de XX dias e compartilharem seu certificado nas redes sociais.

Crie desafios de produtividade, solte a sua criatividade!

A gamificação é sempre uma excelente maneira de engajar os alunos que gostam de se engajar, sem forçar a participação dos alunos mais reservados.

Crie atividades pontuais para não se sobrecarregar de trabalho e nem sobrecarregar seus alunos. Respeite e aceite a não participação: como nós já vimos nesse texto, muitos dos seus alunos escolheram a modalidade online justamente para poder aprender do seu jeito e no seu ritmo.

Falo um pouco sobre essa sobrecarga e a necessidade de se respeitar nesse vídeo:

clique para assistir no youtube

Antes de terminar este artigo (se você chegou até aqui, francamente, deixe seu comentário para eu agradecer “pessoalmente” o seu interesse) vamos nos perguntar também:

Alunos engajados, que participam, perguntam, fazem as tarefas, pedem a sua opinião e seu feedback em tudo: sonho ou pesadelo?

Alunos engajados, que participam, perguntam, fazem as tarefas, colaboram no grupo, colaboram com os colegas, pesquisam, produzem e compartilham, são um sonho bom! Esse tipo de aluno, geralmente aproveita bem os 3 tipos de interação citados acima e aproveitam todas as possibilidades de continuar aprendendo.

Alunos dependentes são difíceis, pois eles precisam de muita atenção e atenção exclusiva. Esses alunos preferem a interação direta com o professor, o que pode ser:

  • uma característica pessoal: tanto os alunos “aplicados” quanto os tímidos têm tendência a preferir a interação direta com o professor
  • um sintoma de que o conteúdo não está adequado ou é insuficiente (e por isso, ele não se sente preparado para continuar sozinho)
  • um sinal de que o seu aluno não entendeu que curso online não é mentoria, nem consultoria e muito menos divã.

Identificado o problema, a solução se torna mais simples e evidente, não é mesmo?

Contudo, eu bem sei o quão tênue é a linha entre o que nós podemos ou não fazer por nossos alunos.

Se é claro e evidente que nós devemos cumprir o nosso papel de educadores e a proposta do nosso curso, também é preciso que o limite do serviço a ser prestado esteja claro para você e seus alunos.

A fronteira entre “dar uma olhadinha” e prestar uma consultoria gratuita é invisível para muitas pessoas.

A menos que a sua proposta de curso envolva um processo de mentoria e de consultoria, o melhor é que você tenha essa fronteira clara para você e serviços complementares para oferecer.

Eu, por exemplo, ofereço:

Responder as perguntas (que eu posso responder, claro!) de todas as pessoas que me acompanham e confiam no meu trabalho, é uma questão de reciprocidade. As pessoas confiam em mim, eu retribuo a confiança e ainda crio conteúdo relevante.

Consultoria e mentoria são serviços completamente diferentes pois envolvem também um trabalho muito mais aprofundado e individualizado.

Nossos alunos devem poder sempre contar conosco, mas não têm o direito de se aproveitar do nosso trabalho.

Promova o aprendizado, a interação e o engajamento sim! Mas aprenda a impor seus limites e se na proposta de programa do seu curso online não está incluído os serviços e consultoria e de mentoria, você não precisa fazer, ok?

Tenha isso sempre em mente: é por você e é por seus alunos também que esses limites são importantes!

E você? Como administra esse processo?

  • Deixe seu comentário e participe da conversa!

Conhece mais alguém que pode se beneficiar com esta leitura?

  • Exerça sua generosidade e compartilhe!

4 comentários em “Interação, interatividade e exploração em cursos online

  1. Meiry Otsuka Yamamoto Responder

    Foi muito bom você ter abordado esse assunto. Principalmente para quem está començando EaD. Em relação a cobrança das tarefas eu sou um pouco exigente, mesmo em sala de aula pois quando se trata de adquirir uma habilidade cognitiva precisamos reforçar até que o aluno consiga fazer a atividade com naturalidade. Às vezes tem alunos que reclamam da exigência. Então é um gasto de energia a mais para engajar.
    Gostaria que você postasse um assunto mais aprofundado sobre EaD. E também se você conhece algum guri que fala sobre criação de materiais didáticos usando a tecnologia. Criação de games e brincadeiras na era digital!
    Como sempre seu post são muito cativante e faz nos refletir sobre um ponto de vista diferente!
    Obrigada de Coração!

    • Leila Adriano Ostoyke Autor do postResponder

      Oi Meiry! obrigada pelo feedback! os alunos precisam de uma direção clara sim, de reforço, mas de tempo também para processar e internalizar o aprendizado 🙂 Vamos conversar muito mais sobre o ead e a didática do ead, fica à vontade para me enviar teus pedidos 🙂

  2. Maria Belintane Responder

    Leila. Eu estou amando o curso. Tenho lido e assistido todas as sugestões que você dá em cada aula. Isso demanda tempo (não consigo caminhar mais rápido), mas tem valido a pena. Eu nem terminei o curso professores e empreendedorismo e já me matriculei em mais dois.
    É muita informação. Acho que terei que rever tudo kkkkkk.
    Tenho algumas dúvidas sim. Principalmente em relação a diversidade de cursos que eu penso em organizar. Mas, acho melhor caminhar mais um pouco e depois perguntar.
    Obrigada

Tem algo a dizer? Deixe seu comentário e participe da conversa!